Corcovado Granitos cria projeto para resolver problema da Ponte que liga nada a lugar nenhum. Governo já iniciou a obra

Após o Governo Estadual ter lançado no diário oficial o projeto que daria funcionalidade a nacionalmente famosa “ponte que liga nada a lugar nenhum”, a Corcovado Granitos, uma das maiores empresas de Medeiros Neto, percebendo que o traçado não atenderia sua real utilidade, se organizou para resolver o problema, que já dura 10 longos anos.
No projeto do governo, a ponte, que está sobre o rio Água Fria, faria ligação entre as ruas Rui Castro, no bairro Vila Pedrosa, e Sete de Setembro, que são ruas estreitas e com curvas de difícil acesso, até mesmo para caminhonetes. (Veja fotos das ruas e do mapa no fim da matéria)

Vendo que o tal projeto inviabilizaria o trânsito de carretas, a Corcovado Granitos, montou um novo projeto por conta própria, contratou uma empresa de engenharia, e fez um traçado que seria o caminho ideal para dar utilidade à ponte e atender as necessidades do escoamento de produtos das empresas locais.
Depois de pronto, o projeto foi entregue na Secretaria de Infraestrutura em Salvador e, apesar de ter ficado um pouco mais caro, a SEINFRA aprovou e buscou viabilizar o novo traçado. A Corcovado ainda concordou em assumiram a negociação das desapropriações das áreas das fazendas que serão utilizadas. O estado já está executando o início da obra, que já foi licitado em quase um milhão e quinhentos reais, e, posteriormente, estará fazendo aditivos para completar o traçado, que vai passar por via rural, iniciando na BA 994 (estrada para Vereda) passando pela ponte, seguindo em paralelo à rua Sete de Setembro, totalmente por fora da cidade, até chegar na BA 290, saída para Itanhém, sem a necessidade de desapropriar casas ou terrenos. Veja a imagem do traçado abaixo:

A última reunião, que aconteceu no dia 15 de fevereiro, na sede da Corcovado Granitos, teve participação do engenheiro da SEINFRA, Márcio Brandão Costa; do diretor presidente da TEP Construtora, sr. António Barbosa; do encarregado da TEP, sr. Genival Francisco e do responsável pelo projeto do anel viário, Marcelo Antônio, representante da empresa Linha Reta Projetos. Os participantes discutiram ideias e deliberaram sobre os primeiros serviços que já começaram.

De acordo com o senhor Antônio Barbosa, Diretor da TEP Construtora, ganhadora da licitação, o contrato visa construir o acesso às cabeceiras da ponte, bem como a mudança de cerca, limpeza do terreno, abertura e terraplanagem de quase 4 quilômetros de estrada, que vai criar um acesso da BA 994 até a ponte, e deixar em ponto de fazer o serviço de pavimentação. Ele ainda explica que, após o término de seu trabalho, uma outra licitação será aberta para dar continuidade aos serviços e abrir caminho da ponte até a BA290. O laboratório de solo já foi instalado ao pé da ponte, as máquinas já estão no local executando a obra. A previsão do término das primeiras atividades é para 60 dias, com base no bom tempo. O senhor Antônio Barbosa agradeceu o empenho, parceria e apoio da Corcovado Granitos e da Usina Santa Maria.

10 ANOS DA PONTE QUE LIGA NADA A LUGAR NENHUM

A ponte sobre o rio Água Fria foi construída unicamente com o propósito de desviar o fluxo de caminhões com cargas pesadas do centro da cidade. Na ocasião, o governo do Estado, em parceria com o Ministério da Integração, foi responsável pela construção da ponte, mas caberia ao município fazer a desapropriação das casas no terreno vizinho, para abrir as vias de acesso à obra. A gestão da época aceitou o acordo, porém, era totalmente inviável para o município, que teria que pagar indenização para quase 40 proprietários de residências. Desta forma, desde sua conclusão, no ano de 2009, a ponte está abandonada.

Uma ação do Ministério Público Federal (MPF) investiga se houve desvio de verbas públicas, durante o projeto. A Secretaria de Infraestrutura do Estado (SEINFRA) disse que tem cobrado do Ministério da Integração uma posição em relação ao convênio. Conforme a SEINFRA, o investimento inicial do projeto era de R$ 3 milhões, mas o valor foi reduzido para R$ 2,6 milhões. Após a abertura das investigações, a obra virou notícia no Brasil inteiro, através de programas jornalísticos da TV Globo, e em milhares de plataformas e redes sociais da internet.

Por: Jan Santos / Medeiros Dia Dia

 

Faça um comentário